Bolhas Bloguistas

NÓS! Literalmente nós! Nós vamos bem com caviar, ao almoço e ao jantar. Estamos bem e a melhorar. Ninguém nos pode parar e Nós sempre a borbulhar. bolhas_bloguistas@yahoo.com.br Um espaço aberto a toda e qualquer futilidade...

segunda-feira, maio 08, 2006

Receitas e calinadas

Como saberão as demais Bolhas, os leitoras e os leitores, as anónimas e os anónimos, pois de tal certamente se aperceberão pela leitura dos nossos posts, uma característica das Bolhas é gostarem de ser únicas e diferentes em tudo o que fazem. Não gostamos de ver ninguém com sapatos, roupa, acessórios e mesmo penteados iguais aos nossos. Uma imitadora é imediatamente apelidada de copiona, sem gosto e claro, sentido de originalidade igual a “ menos zero”. O simples cruzar na rua com uma “lama” ou pindérica que deixa atrás de si um rasto perfumado igual ao nosso é motivo de enorme “stress”. Vai daí, esse fenómeno transporta-se para muitos e variados aspectos do dia-a-dia. Um deles tem a ver com as receitas, estou a referir-me a receitas gastronómicas e não a outras como receitas médicas. Essas ficam para outra oportunidade.
Como já foi referido, as Bolhas não cozinham e raramente entram nas cozinham das suas “maisons” apalaçadas; mas são excelentes boas donas de casa e as cozinheiras limitam-se a preparar e confeccionar receitas que lhes são passadas com imenso cuidado e inúmeros detalhes. Uma receita é ou deveria ser um segredo bem guardado, muitas vezes passada de geração em geração, com um pendor ancestral que a torna numa relíquia familiar quase tão valiosa como contador o indo-português em pau preto com incrustações de marfim que adorna a sala de estar da casa da avó Isabel; como tal, é suposto ficar apenas entre a dona de casa e a cozinheira - a qual, obrigada ao mais estrito sigilo profissional, sob pena de ir para o olho da rua, não revela a mais ninguém. Ora vai daí não há situação mais embaraçosa do que estar a jantar em casa alheia e ver aparecer na mesa aquele Faisão com Amêijoas a la Villeroy ou a Geleia de Frutos Silvestres à moda da Rainha D. Amélia, que ao saborear sabemos imediatamente que é NOSSA, tem aquele sabor distinto e especial que sabemos não pode ter sido retirada de um qualquer livro de receitas - pois nem a Maria de Lurdes Modesto tinha sido germinada quando já na casa de família se degustavam tais acepipes. Este é o pior dos “xliques” que uma Bolha pode sofrer e que requer todo o seu autodomínio para não revelar o que lhe vai na alma, a raiva que se apodera ao meter o garfo à boca. E claro, o esforço sobrenatural que lhe é exigido, naquele momento, para não se engasgar à frente de todos os convivas e ainda poder tecer um qualquer comentário a somar aos demais sobre o menu da noite. É aqui, nestas situações, que o verdadeiro pedigree de uma Bolha se revela.
Querer tratar esta questão como um problema doméstico ou das relações sociais não resolve nada. As repercussões são graves e diria mesmo com ramificações internacionais. Por isso a solução, meus queridos, é tomar medidas drásticas e do foro legal: é preciso registar as nossas receitas como “marcas”! Sim, como se fosse uma marca de roupa tipo Chanel ou Ferragamo ou João Pires. É a única forma de proteger as nossas receitas, património familiar sagrado e inviolável. Não posso entrar em detalhes, pois tal seria enfadonho e demasiado maçudo para este blog. Mas é um descanso e vale a pena pois garante-nos a exclusividade da utilização da receita assim protegida. E tal como vemos a polícia dirigir-se aos estaminés obscuros da cidade para encerrar lojas onde se vendem imitações de roupa de marca (um escândalo), também as casas dos nossos conhecidos poderão vir a ser objecto de mandado policial para confiscar um tacho ao lume onde se encontra o Pernão de Javali com Banana Órrico, receita que, sem sombra de dúvida, sabemos foi inventada pela tetra aquando da estadia no Brasil com a corte portuguesa exilada. Assim, da próxima vez que uma qualquer anfitriã pretenda deitar mão a uma receita cuja origem desconhece, mais vale certificar-se previamente junto do seu advogado se pode confeccionar a mesma sob pena de ver levantado um processo judicial por utilização indevida e sem consentimento de marca alheia! Conselho de Bolha!

12 Comments:

Blogger Fã das Bolhas said...

Apoiado! Apoiado! Apoiado!

5:44 da tarde  
Blogger Bolha Mestra said...

Genial!!!!!!
Vou já contactar a atarefada para que proceda à instauração de um processo em Tribunal contra as pindericas que andam a servir a minha receita de serradura como se fosse delas!!!!

5:59 da tarde  
Blogger DesperateHouseBubble said...

Minhas queridas, nem sei dizer quantas vezes fui ja alvo de cenarios semelhantes aos descritos. Apoiado! Claro que as congeneres Bolhas estao fora deste escrutinio destinado as copionas "menos que zero". Entre nos a partilha autorizada e aceite como facto corrente na irmandade borbulhante.

7:26 da tarde  
Blogger Fã das Bolhas said...

Será que a Desperate me podia ceder a sua receita da famosa Sangria de Champanhe?

10:48 da manhã  
Blogger DesperateHouseBubble said...

Com todo gosto, cara Misterious. Tera contudo que me dar o seu endereco pessoal, ja que este blog nao sera o veiculo mais apropriado, devido ao facto das mencionadas cuscas copionas "menos que zero" estarem sempre a coca das nossas mensagens.A nao ser que se confirme sua a "suspeitada identidade misteriosa" e assim o pedido anterior fica sem efeito...!!!

11:12 da manhã  
Blogger Bolha de Champanhe said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

11:13 da manhã  
Blogger Bolha de Champanhe said...

Cara Maria X, reiterando as indirectas delicadas da Desperate tenho a informar que não é benvinda a este blog. Em primeiro lugar porque só se acede após recepção de convite pessoalissimo que não foi o seu caso. Depois porque nós somos Bolhas genuínas e credenciadas enquanto a sua história tem contornos obscuros e nada promissores. Numa palavra, não sabemos quem é, donde vem e o que pretende com as suas insinuações. Agradecemos pois que vá limar as suas unhas para outra freguesia.

11:17 da manhã  
Blogger Fã das Bolhas said...

Que má, Champanhe! Começo a ficar triste e magoada consigo
Vou rezar o SALMO 23 para me acalmar

1 O Senhor é meu pastor,
nada me falta.
2 Em verdes prados me faz descansar,
e conduz-me às águas refrescantes.
3 Reconforta a minha alma,
guia-me pelos caminhos rectos,
por amor do Seu Nome.
4 Mesmo que atravesse os vales sombrios,
nenhum mal temerei, porque estais comigo;
o Vosso bastão e o Vosso cajado
dão-me conforto.
5 Preparais-me um banquete
frente aos meus adversários.
Ungis com óleo a minha cabeça
e a minha taça transborda.
6 A graça e a bondade hão-de acompanhar-me
todos os dias da minha vida.
A minha morada será a casa do Senhor
ao longo dos dias.

11:41 da manhã  
Blogger Bolha de Champanhe said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

11:57 da manhã  
Anonymous Kátia Vanessa said...

Ó pá, esta gaja acha que alguém quer a merda das receitas delas???? Ó Andreia ensina aí as gajas como é que faz um ganda cozido à portuguesa ou uma feijoada!! As gajas aí ficam a saber o que é bom, e que a gente lá no bairro trata-se bem pá!!

5:31 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

yé yé! vivó cozido!

5:53 da tarde  
Blogger Bolha Mor said...

Brilhante Champanhe!!!
SEndo certo que quem faz tudo la em casa e a Iasmin, a cozinheira, sob a minha orientacao, se calhar o mel;hor e eu pobriga-la a assinar um contrato de confidencialidade, Segredo de cozinha, o que acha a querida?
Ja agora quem e que sao estas pessoas que andam a comentar o nosso Blog?

8:19 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Counters
University of Phoenix Pimp MySpace.com
Number of online users in last 3 minutes